Ilha de Páscoa: o lugar mais remoto do planeta – E como a SBTUR me levou até lá!

“Rapa Nui”, também conhecida como Ilha de Páscoa é magnífica. Essa é a melhor palavra que a define. A Ilha, que pertence ao Chile, está a 3.700 km da sua costa leste, fica no meio do Oceano Pacífico e é conhecido como o território mais inóspito do mundo.

 

O último dado oficial de população é de 2002, que contabilizava quase 4 mil habitantes, a maioria residentes no único vilarejo da ilha, Hanga Roa. Dizem que a população nativa é formada de apenas 39 famílias.

 

O lugar é cheio de mistérios e, o maior deles, é a presença daquelas estátuas grandes de pedras com rostos esculpidos, os Moais. Vulcões, pedras energizadas, lendas e rituais religiosos e esportivos completam a rotina de quem visita a Ilha de Páscoa.

 

Então, nessa publicação, além de contar alguns dos mistérios, vou mostrar como utilizei os créditos SBTUR para visitar a Ilha de Páscoa!

 

SBTUR-Ilha de Pascoa-09

 

A Jornada

O ano era 2014. A viagem era para o Réveillon. Saímos em 8 amigos de Porto Alegre, de carro, rumo ao Chile. Só essa jornada pelo interior do Uruguai, Argentina e Chile já valeria outro post, mas essa eu conto depois.

 

SBTUR-Ilha de Pascoa-01

Vista do Aconcágua na estrada entre o Chile e Argentina

 

Atravessamos o Rio Grande do Sul, uma parte do noroeste do Uruguai, Argentina, Cordilheiras do Andes e todo o Chile (que é bem estreito), até chegar em Viña Del Mar, nosso destino principal, onde passaríamos a virada do ano.

 

Completamos aproximadamente 2.400 km em 3 dias. A qualidade geral das estradas até lá é boa, e não tivemos nenhum problema mecânico ou com os conhecidos policiais rodoviários argentinos.

 

Dica: Evite o estado de Corrientes na Argentina saindo do Brasil por Rivera, atravessando o Uruguai até Paysandu, entrando na Argentina por Colón.

 

SBTUR-Ilha de Pascoa-02

Aduana entre Argentina e Chile

 

Após as comemorações de ano novo e muito descanso na praia de Reñaca, partimos de volta para Santiago de onde embarcaríamos a misteriosa Ilha de Páscoa.

 

SBTUR-Ilha de Pascoa-03

 

Como chegar

A única companhia aérea que faz a viagem é a LAN, o voo dura aproximadamente 5 horas e sai somente de Santiago. O aeroporto Mataverri International Airport fica no sul da Ilha de Páscoa, bem ao lado do centro, Hanga Roa. Para se ter ideia do tamanho, a pista de pouso atravessa a ponta sul da ilha de um lado a outro.

 

A magia do lugar já começa na chegada. Todos os que chegam são recepcionados por agentes de viagens e funcionários locais do aeroporto com colares de flores e música.

 

A Ilha de Páscoa

A ilha tem formato triangular e faz parte da Polinésia Oriental. A paisagem é rica, natural e bem equilibrada entre os 4 elementos básicos da natureza: fogo (vulcões), mar (abundante por todos os lados), ar (limpo com bastante vento) e terra (pedras porosas que permitem esculturas).

 

As moedas aceitas na ilha são o Dólar e Peso Chileno. Como a maioria das pessoas presentes na ilha são turistas, o dólar é a moeda mais recomendada para se levar. Leve dinheiro, pois nem todos os lugares aceitam cartão de crédito.

 

Na rua principal, Atamu Takena, são encontrados o único posto de gasolina, restaurantes, agências de turismo e aluguel de carro e outros serviços úteis ao turista.

 

Com clima subtropical, a maioria dos dias tem calor úmido no verão Rapa Nui. No verão, de setembro a abril, as chuvas são menos intensas, se invertendo no inverno.

 

Onde Ficar – E como usei o crédito SBTUR

Segundo o TripAdvisor, são 31 pousadas e 14 hotéis. Além disso, alguns locais alugam as suas casas pelo AirBnb. Se você fizer uma busca rápida vai encontrar algumas opções em conta. Dica: A melhor opção é ficar no centro, Hanga Roa, que é perto dos restaurantes, do posto de gasolina, e das principais atrações da noite.

 

A maioria dos hotéis são simples, porém bem organizados, pois atendem turistas do mundo todo. Para os mais ousados, recomendo conhecer o hotel que venceu o prêmio “2016 Travellers Choice” do Trip Advisor, o Hotel Hangaroa Eco Village & Spa.

 

Como decidimos ir para a Ilha de Páscoa depois de montar a viagem de carro para o Chile, cortamos alguns dias de Santiago, mas ainda não havíamos reservado o hotel na ilha. Eu tenho um Plano de Viagens SBTUR que fica guardado para esse tipo de situação que eu quero estender ou complementar o orçamento de uma viagem.

 

Usei os meus créditos SBTUR para reservar o hotel da viagem. Liguei para a agência de viagens da SBTUR, fui muito bem atendido e em pouco tempo eu já estava com o voucher do Hotel Mataverri Inn. Os quartos são pequenos, mas bem organizados e limpinhos. Os funcionários são simpáticos e dão muitas dicas sobre a ilha. Para chegar aos restaurantes e agência de passeios do centro basta uma caminhada de 15 minutos. Enfim, gostei muito!

Avaliação TripAdvisor do hotel.

 

O que fazer – Vulcões, mistérios, trilhas, Moais e poucas praias!

A ilha é rica em mistérios e em natureza virgem. Portanto, a maioria dos passeios são de dia e ao ar livre. Dica: Prepare-se para levar um chapéu e bastante protetor solar, pois os dias quentes e a ausência de matas fechadas são um desafio à parte.

 

Vulcões

Na língua local, “Rano” significa Vulcão. São 3 os vulcões na Ilha de Páscoa que podem ser visitados. Os 3 valem a pena visitar e proporcionam visuais espetaculares! 

Rano Kau está ao sul da ilha, do outro lado do aeroporto e pode ser acessado de carro. Além da vista do vulcão, lá estão as ruínas de Orongo e um museu bem interessante que conta algumas histórias de Rapa Nui. É de lá que partia a competição do homem pássaro, uma das histórias muito loucas da illha, que vou contar logo mais nesse post.

 

SBTUR-Ilha de Pascoa-04

Rano Kau

 

Rano Raraku está no nordeste da ilha e pode ser acessado de carro também.  Esse lugar é especial pois abriga o maior parque de Moais da ilha. A maioria das estátuas foi fabricada ali e 95% das pedras foram extraídas dali. Até hoje, 397 moais estão no parque do Rano Raraku que valem a visita. Prepare-se: a caminhada para subir é longa e no sol!

 

Rano Terevaka é o vulcão mais alto a ilha de Páscoa e atinge 507 metros. Decidimos conhece-lo a cavalo, que se mostrou uma decisão muito acertada. A caminhada até lá demoraria um dia inteiro e consumiria muito tempo da viagem.

 

SBTUR-Ilha de Pascoa-05

Rano Terevaka a cavalo

 

SBTUR-Ilha de Pascoa-06

Visual de cima do Rano Terevaka

 

Ballet Kari Kari

O ballet Kari Kari é o show mais tradicional da Ilha de Páscoa. Acontece à noite em uma casa de shows localizada em Hanga Roa. Vale a pena pesquisar informações sobre datas e valores, pois mostra a herança cultural e musical do seu povo. Dançarinos com movimentos fortes, dançarinas com movimentos delicados e uma banda de cordas e percussão tornam o show uma experiência imperdível.

 

SBTUR-Ilha de Pascoa-07

Palhinha no Ukulele no final do  Ballet Kari Kari

 

Praias

Ovahe e Anakena são as únicas duas praias que se recomendam visitar. Anakena fica no norte da ilha, conta com uma faixa de areia muito pequena e tem 6 moais construídos na areia da praia. Palmeiras, água azul, areia branca e grama tornam a paisagem espetacular.

Ovahe também é no norte e tem o visual mais rochoso e inóspito. Como seus paredões rochosos fazem sombra na areia na maior parte da tarde o ideal é ir de manhã. Ela é mais utilizada para mergulhos com snorkel, visto que não tem muita estrutura para banhistas.

Outras praias são Kaleta, Pea e Poko, todas muito pequenas, cheias de pedras e que mais se parecem com piscinas naturais.

 

Nascer e Pôr do Sol

Outro passeio muito legal e quase obrigatórios da Ilha de Páscoa é ver o nascer do sol no lado leste da ilha e o pôr do sol no lado oeste.

Para ver o nascer do sol, chegue bem cedo ao Ahu Tonagariki. É um dos lugares mais visitados pois tem uma plataforma (ahu) com 15 moais de pé atualmente. Em maio de 1960 um grande terremoto no Chile causou um tsunami que derrubou muitos moais. Nos anos 90, uma empresa japonesa os restaurou em parceira com a Universidade do Chile.  

 

SBTUR-Ilha de Pascoa-08

Ahu Tonagariki

 

Para ver o pôr do Sol, vá para o Ahu Vai Uri (Tahai) que está bem pertinho do centro da Ilha. Dá para ir a pé e a dica é levar umas cervejas e fazer um happy hour por ali mesmo. Não esqueça de recolher o seu lixo! Atrás do Ahu tem uma rampa para o mar muito convidativa para um banho.

 

Trilhas, cavernas e mergulho

Citei apenas alguns Ahu e Moais da ilha nesse texto até agora. Mas, existem dezenas que podem ser visitados. Você pode tanto comprar os passeios das agências de viagens localizadas no centro, quando alugar um carro e ir sozinho. As agências fazem passeios de barco ao redor da ilha e alguns deles têm mergulhos com e sem snorkel. 

Cavernas como Ana Kai Tangata, Ana Kakenga (leve uma lanterna) e Ana Te Pahu são lugares místicos e devem estar no roteiro.

 

Maratona Rapa Nui

Todos os anos em junho ocorre uma maratona na ilha de Páscoa. As vagas são limitadas e você pode ter mais informações clicando aqui.

 

Tapati Rapa Nui Festival

É o festival mais aclamado da Ilha de Páscoa e acontece em fevereiro. Reúne dezenas de atividades culturais e competições esportivas rústicas, como atravessar vulcões à nado, correr segurando grandes pesos nas costas e corridas com grandes toras. O clã vencedor escolhe a rainha da ilha.

 

Homem Pássaro, a história mais louca da Ilha de Páscoa!

Todos os anos se realizava a competição do Homem Pássaro. O vencedor teria o direito de governar a ilha por 1 ano. As regras eram as mais loucas possíveis. O objetivo era capturar um ovo de Andorinha-do-Mar que ficavam na ilhota Motu Nui ao sul da ilha de Páscoa e voltar com ele inteiro.

Tudo começava em Orongo, no sul da ilha. O competidor deveria descer os paredões externos do vulcão Rano Kau, nadar até a ilha, pegar o ovo, voltar à nado pelo mar revolto. Subir novamente o paredão e, o primeiro a chegar com o ovo intacto vencia. Tudo isso vestindo apenas uma espécie de sunga!

 

Locomoção

Alugar um carro é a melhor forma para ficar com mais flexibilidade de horários. Alugamos um Jepp Jimny no centro da ilha. A maioria das locadoras só trabalha com jipes. É muito fácil se localizar pois Hanga Roa (centro) é bem pequeno e a ilha só tem 1 estrada circular. A maioria dos Moais estão na beira dela!

Se você não dirige, ou prefere não alugar carro, você pode caminhar bastante pelo centro da Ilha de Páscoa e fazer os passeios com as conduções das agências.

 

Vale a pena a visita!

Sem dúvidas, conhecer a Ilha de Páscoa foi um sonho de viagem realizado. Usar os créditos SBTUR tornaram possível para pagar uma das maiores despesas da viagem, que foi o hotel. Eu também poderia ter utilizado o Plano de Viagens para as passagens aéreas, mas, como eu tinha milhas, não foi necessário.

 

A ilha tem fontes de água potável reduzidas e produz pouquíssimos alimentos. Portanto, vivem da pesca e do turismo. Todo o alimento, combustível, água e outros mantimentos alimentícios são trazidos do continente por avião e navios. O lixo, por sua vez, é enviado de volta.

 

Lembre-se: Se você for visitar, trate a ilha com o maior cuidado e respeito possível. Esse é um paraíso que tem sido modificado ano a ano, por mais que leis e protestos dos locais tentem o contrário.

 

Voltamos em êxtase com a experiência que tínhamos vivido. Ainda tínhamos a jornada de volta a Porto Alegre, de carro, cheia de vinícolas, muitas paisagens nas cordilheiras, pequenas cidades e surpresas. Mas isso é assunto para outro post. Saiba mais sobre a história da ilha de Páscoa no Wikipedia.

 

Redação e fotografia pelo Cliente SBTUR Rodrigo Noll.

 

Ficou inspirado? Comece a planejar sua próxima viagem!

Tem dúvidas? Poste seu comentário abaixo.

 

Fique mais próximo da viagem dos seus sonhos. Conheça o Plano de Viagens SBTUR!

QUERO VIAJAR

Continue a leitura

A viagem perfeita, conteúdo exclusivo

Faça parte de um grupo seleto que viaja todo ano. 50.000 pessoas recebem nossas dicas gratuitamente.

Respeitamos sua privacidade. Você está 100% seguro!

Não encontrou o que estava procurando?

Copyright © SBTUR Viagens S.A. | Todos os direitos reservados. | Feito com ❤ em Floripa