Airbnb e formas alternativas de hospedagem

 

Involuntariamente, quando estamos planejando uma viagem e pensamos em hospedagem, as opções que veem à cabeça são os tradicionais hotéis e pousadas. Aos poucos, no entanto, o conceito de hospedagem vem se ampliando e as opções alternativas ganhando espaço no Brasil.

 

Um exemplo disso são os hostels (albergues) que antes faziam parte apenas do dicionário dos mochileiros e agora já foi incorporado ao cotidiano de muitos viajantes brasileiros. Mas além deles, outra forma de hospedagem que já é famosa pela Europa e está caindo no gosto dos brasileiros, é o Airbnb.

 

A escolha da acomodação é, quase sempre, o ponto que mais pesa no orçamento de uma viagem. Não é à toa que a necessidade de economizar ou ficar mais perto de um local desejado, ou as duas necessidades juntas, fizeram com que outras formas de se hospedar tenham ganhado força no turismo mundial.

 

Descubra algumas dessas formas alternativas de hospedagem:

 

Hostels

SBTUR - Botanic Hostel

Botanic Hostel, Rio de Janeiro/RJ 

 

Essa é a acomodação preferida dos mochileiros. Os albergues, como também são chamados, dispensam as conveniências de um hotel cinco estrelas, mas oferecem um lugar confortável para descansar por um preço acessível. Além disso, a possibilidade de conhecer pessoas de diferentes partes do mundo é imensa, já que, em sua maioria, os quartos são compostos por diversos beliches e as camas ocupadas por outros turistas.

 

No entanto, para quem quer curtir a experiência de conhecer outros hóspedes nas áreas comuns, mas prefere ter seu próprio espaço, muitos hostels oferecem quartos individuais com banheiro exclusivo. São quartos para 2, 3 ou 4 pessoas e às vezes mais barato do que diárias em hotéis e pousadas.

 

House Sitting

Esse é um tipo de acomodação que vem crescendo ao redor do mundo. Em poucas palavras, seria um sistema de economia compartilhada, onde usuários trocam serviços em um processo de ajuda mútua. Não entendeu?

 

House Sitting é um sistema no qual viajantes buscam proprietários de residências que também querem viajar, mas precisam manter alguém cuidando de suas casas e seus animais enquanto estão fora. Ou seja, enquanto os donos da casa viajam com tranquilidade e economizam com diárias de hotéis para seus pets, os viajantes tornam-se os ‘novos moradores’, conseguindo se hospedar de maneira gratuita, muitas vezes em locais onde jamais poderiam bancar.

 

 

Camping

Essa é a acomodação indicada e preferida dos mais aventureiros. Em sua maioria, as instalações dos acampamentos estão rodeadas de áreas verdes de beleza natural e as acomodações dispostas em barracas que os próprios viajantes levam.

 

Airbnb

SBTUR - AIRBNB App

Airbnb na Apple Store

 

Além desses três tipos alternativos de acomodação, tem um que já virou assunto nacional: o AirBnB. O sistema ficou famoso entre as formas de hospedagem alternativa pela gama de opções diferentes de hospedagem em seu catálago, como por exemplo, você poderia encontrar uma casa-barco  (houseboat) em Amsterdam para alugar. Mas o Airbnb não é, necessariamente, sinônimo de baixo custo.

 

Entendendo o Airbnb

O Airbnb é um site que possibilita a comunicação entre donos de imóveis e turistas do mundo inteiro que estão em busca de acomodação.

 

O nome parece um pouco complicado de se falar, não é mesmo? Mas “BnB” é uma abreviatura de “bed and breakfast”, o estilo de acomodação que você aluga apenas um quarto em uma casa de família e se hospeda com direito à café da manhã. Então, Airbnb seria algo do tipo “bed and breakfast virtual”.

 

Um nome perfeito, já que no início, o site tinha apenas pessoas que alugavam quartos em suas casas. Só que a proposta deu tão certo que o site começou a ser usado para alugar apartamentos inteiros. E hoje é a “imobiliária” que mais cresce online.

 

A grande diferença que existe entre o AirBnB e as agências tradicionais de locação de imóveis é que o AirBnB funciona no estilo de uma rede social. Tanto para anunciar seu apartamento quanto para alugar um espaço, é preciso criar um perfil e entrar na rede. No site, anfitrião e inquilino são avaliados um pelo outro e dessa forma vão criando uma reputação na rede.

 

Dessa forma, toda a comunicação entre as partes envolvidas no aluguel é feita pelo seu mural no AirBnB, sem intermediação de agentes.

 

A transação

Na hora de acertar o pagamento, a transação é realizada pelo cartão de crédito ou pela sua conta no PayPal. No valor final é debitado, além do valor total da estadia, a taxa de limpeza e a comissão do AirBnB. Finalizado esse processo, o inquilino recebe o endereço do apartamento, o email e o telefone do anfitrião e então combina os detalhes de entrega e devolução da chave.

 

Um ponto positivo é que o site só repassa o dinheiro para o anfitrião 24 horas depois do hóspede se instalar. Então, em casos de reclamação grave por parte do inquilino, o dinheiro é retido pelo AirBnB e fica disponível para o viajante usar em outra locação.

 

As acomodações

Como já dissemos anteriormente, o AirBnB atraiu muito a atenção dos viajantes devido a gama de opções e variedade nas acomodações. É possível encontrar alguns apartamentos desses mantidos apenas para alugar, mas a oferta é bem maior de apartamentos repletos de objetos pessoais ou apenas de quartos para alugar, no esquema cama e café.

 

Na hora de buscar sua acomodação, uma seleção mais restrita pode ser feita com a ajuda dos filtros, que dão opção de escolher por tipo, valor, área, serviços, etc. Como abrange o mundo todo, o site está disponível em diferentes línguas, assim como os valores dos quartos em diferentes moedas.

 

E as opções são realmente para todos os gostos – você vai encontrar opção de locar apenas camas, sofás e colchões, ou alugar quartos compartilhados ou quartos privados e opções mais completas como apartamentos, estúdios, coberturas, mansões, casas de campo, chalés, barcos, etc. Os preços, é claro, aumentam conforme o conforto, destino e localização desejados e a escolha vai variar de acordo com o seu bolso.

 

Apesar de no Brasil o Airbnb ainda não ser tão popular, cada vez mais pessoas aderem ao site e passam a oferecer um quarto vago ou um apartamento mobiliado que não está sendo usado. Com isso, atualmente, o Rio de Janeiro é a cidade da América Latina com maior número de acomodações ofertadas no AirBnB, com 20 mil acomodações diferentes. Em segundo lugar vem Buenos Aires (com 8 mil), seguido de São Paulo (com 7 mil).

 

Se você não tem medo de se arriscar, hospedar-se em um pequeno apartamento na cidade é a certeza de ter um local aconchegante e mais intimista e, com a possibilidade de sentir na pele como vive um local. Além disso, é uma boa alternativa para fugir dos altos valores dos hotéis nas principais cidades turísticas e encontrar um lugar que se encaixe melhor nos planos. Sem dúvida, é um tipo de aposta positiva para quem aceita riscos e quer uma acomodação diferente!

 

Mas se você ainda preferir hotéis e pousadas, pode escolher se hospedar em hotéis com propostas diferentes, como por exemplo hotéis sustentáveis ou hotéis que fazem parte de uma experiência completa no destino.

 

Já se hospedou em hostels? Tem curiosidade de alugar hospedagem pelo Airbnb? Compartilhe com a gente nos comentários!

 

 

 

 

Foto de Capa: Flickr Rick Payette

Fique mais próximo da viagem dos seus sonhos. Conheça o Plano de Viagens SBTUR!

QUERO VIAJAR

Continue a leitura

  • ebviaja

    Muito bomo o post, pessoal! Eu vivo em Airbnb há anos já, e fiz um post pra explicar todas minhas dicas de como aproveitar melhor – e principalmente, como conseguir descontos: https://eborges.org/10-dicas-como-usar-airbnb-melhor/

    • E ai Eduardo, tudo bem? Muito obrigado pelas considerações e por contribuir com o seu conteúdo em nosso post! Abraço!

A viagem perfeita, conteúdo exclusivo

Faça parte de um grupo seleto que viaja todo ano. 50.000 pessoas recebem nossas dicas gratuitamente.

Respeitamos sua privacidade. Você está 100% seguro!

Não encontrou o que estava procurando?

Copyright © SBTUR Viagens S.A. | Todos os direitos reservados. | Feito com ❤ em Floripa